sábado, 31 de dezembro de 2011

2012, o Ano do Social Business

Todo final de ano é tempo de balanço e, também, de olhar para a frente. Previsões fazem parte da nossa cultura. No entanto, como dizia um velho conhecido, "fazer previsões é muito dífícil, principalmente quando são sobre o futuro". Nessa linha, relaciono, abaixo, não o que poderiamos até mesmo chamar de "previsões", mas o que eu vejo como tendências para o próximo ano em termos de Redes Sociais e assuntos relacionados. Ao não classificá-las como "previsões" abro mão de ser cobrado ao final de 2012 sobre suas realizações ou não. No entanto, como profissional da área de TI, acredito profundamente que deveriamos observar cada um destes ítens com bastante atenção.
  1. Social Intranets - Nos últimos dois anos, envolvi-me diretamente em diversos projetos de Redes Sociais Corporativas. Em muitos deles, o objetivo foi o de implementar uma Intranet Social, onde os funcionários de uma empresa pudessem transformar-se em "colaboradores". A diferença fundamental entre os dois conceitos é que na Intranet Social todos participam e compartilham informações, gerando conhecimento e inovação.

    Pelo volume de projetos e de consultas que temos recebido, vejo 2012 como o ano em que as Intranets Sociais irão substituir os Portais Corporativos como principal plataforma corporativa. O maior exemplo é o da própria IBM, onde uma nova versão foi implementada neste último quartil e está em uso por mais de 400 mil colaboradores em todo o mundo. É, disparada, a maior rede social corporativa do mundo, em plena operação.
  2. Mobilidade - No final de 2010 a venda de smartphones já havia superado a de PCs (1 e 2). Smartphones e Tablets tomaram definitivamente o mercado em 2011. No mundo corporativo, já são uma realidade em muitas empresas, mas na maioria delas com um papel secundário. O principal dispositivo ainda é o PC ou o notebook.

    Em 2012, pelo aumento no volume dos projetos de BYOD (Bring Your Own Device), vejo estes dispositivos, pela primeira vez, com chances de assumirem o papel de protagonistas. Inúmeras transformações virão "de carona", como maior agilidade em processos de aprovação, uma maior cobrança por produtividade e, claro, maiores cuidados com segurança.
  3. Cloud - Este é um dos componentes mais fortes de qualquer novo projeto de TI. Ao mesmo tempo, é o que levanta mais dúvidas e inseguranças com relação a questão de segurança. Ofertas dos grandes provedores como a IBM, vão atender a uma demanda cada vez  maior de empresas de qualquer porte, trazendo nível de servico e segurança. Vale acompanhar os novos lançamentos, previstos para o início deste ano.

    Minha recomendação aqui é cautela, principalmente na escolha do provedor de serviços. Mesmo alguns players mais atuantes no ramo já provaram que tem capacidade de atender bem à "pessoas físicas". No mundo corporativo, no entanto, às demandas são diferentes e muito, mas muito mais específicas. Ter profissionais especializados, infraestrutura comprovadamente forte e um nível de serviço diferenciado são pontos fundamentais. Recentemente li sobre um projeto de uma empresa que oferece serviços em nuvem e sobre seus problemas para entregar o contratado (3). Detalhe, o problema para entregar o projeto está relacionado a questões de "segurança". Mais uma vez, cuidado na escolha de seu provedor de serviços.
  4. Big Data - A quantidade de dados produzida diariamente no mundo todo é algo inimaginável. E tem um valor único, para aqueles que conseguirem analisar esta montanha crescente. Segundo recente estudo da McKinsey (4), será a base para grandes crescimentos em competitividade e inovação. Mas, para isso, é fundamental utilizar tecnologias e metodologias adequadas. Alguns setores, como Saúde, Varejo e Governo, podem se beneficiar enormemente caso consigam transformar todos esses Dados em Informação.

    Vejo, aqui, um crescimento da demanda por Business Analytics. Não apenas de tecnologia mas, principalmente, "capacidade analítica". Investir somente em tecnologia será algo parecido a ter o melhor carro do mundo e não saber dirigir. As Redes Sociais, tanto as abertas como as corporativas, escondem um "tesouro" de conhecimento, com informações sobre cultura, hábitos, preferências e muito mais.
  5. Local x Global, Vertical x Horizontal - O Facebook fez o mundo todo se conectar em uma única rede social. Em 2010 e 2011 surgiram diversas redes sociais mais especializadas. A idéia aqui é garantir maior afinidade entre os membros que, em tese, buscariam um objetivo comum. Enquanto o Facebook, em linhas gerais, não tem objetivo algum a não ser ligar as pessoas, outras redes como a  ResearchGate (5 e 6), para cientistas, a CookEatShare (7), para chefs de cozinha ou a The Pet's Universe (8 e 9), para donos de animais de estimação, são bem mais focadas em objetivos claros.

    A medida que profissionais vejam os benefícios que essas redes mais especializadas podem trazer, a tendência é que juntem-se em Redes Sociais segmentadas.
Todos os pontos acima são simples percepções, com base nos projetos e eventos que tenho participado e nas conversas com especialistas da área. No início do ano, teremos um grande evento dedicado exclusivamente a Redes Sociais Corporativas, o "IBM Connect2012" (10). São esperados anúncios que, seguramente, terão fortes impactos nas direções do mercado.

Por tudo isso, acredito que  2012 será o ano do Social Business.

Um Feliz 2012 para todos!!!

(1) http://www.dn.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1779980&seccao=Tecnologia
(2) http://www.ft.com/cms/s/2/d96e3bd8-33ca-11e0-b1ed-00144feabdc0.html#axzz1i8HtlQms
(3) http://articles.latimes.com/2011/apr/14/business/la-fi-google-email-20110414
(4) http://www.mckinsey.com/Insights/MGI/Research/Technology_and_Innovation/Big_data_The_next_frontier_for_innovation
(5) http://www.vincentabry.com/en/research-gate-social-network-for-scientists-1279
(6) http://www.researchgate.net/
(7) http://cookeatshare.com/
(8) http://www.thepetsuniverse.com
(9) http://oglobo.globo.com/blogs/cat/posts/2011/03/09/rede-social-para-pets-367858.asp
(10) http://www-01.ibm.com/software/collaboration/events/connect/

6 comentários:

  1. Obrigado pelo comentário, Renata! Estes eram exatamente os meus objetivos, ser "simples e objetivo".

    ResponderExcluir
  2. Bernadette S C Castilho3 de janeiro de 2012 08:31

    Em dois dos cinco pontos ressaltados no blog o tema segurança é explicitado. Mas observo que este tema acaba sendo transversal a tudo, seja pela questão do necessário sigilo de informações sensíveis (corporativas ou pessoais), seja pela questão da integridade ou disponibilidade. E, o que mais me preocupa nesta evolução é que, cada vez mais, estamos dependentes da Internet! Já pensaram como seria um dia de nossas vidas sem a Internet? Caos é pouco!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado pelo comentário! Você tem razão, Bernadette. A cada dia que passa nossas vidas ficam mais ligadas na internet. Seja em nosso mundinho particular, para compras, pagar contas ou planejar viagens, ou no mundo profissional, para trabalhos em time, projetos com times virtuais, etc. E, em todos estes "mundos", a segurança é questão absolutamente fundamental. O tema é, definitivamente, transversal a tudo.

    ResponderExcluir
  4. Flavio, concordo com você sobre 2012 ser o ano do Social Business. Também acredito que vão pipocar redes sociais de "tribos", que já buscam conexões por afinidade dentro das grandes redes sociais. Tenho ainda um bocado de receio de Cloud, especialmente depois dessa confusão com o Megaupload, mas o mercado vai encontrar uma forma de superar os receios. Com a mobilidade cada vez mais presentes, usar a nuvem será a solução, mesmo. Parabéns pelo post, gostei muito.

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pelo comentário, Isabella! Acredito que veremos uma presença cada vez maior da nuvem em nosso dia-a-dia, mas antes, realmente, ainda vamos passar por alguns obstáculos e resistencias... vamos ver!

    ResponderExcluir